LIVE: Comida sem Veneno: Privilégio ou Direito?
1232
post-template-default,single,single-post,postid-1232,single-format-video,theme-stockholm,qode-social-login-1.1.3,qode-restaurant-1.1.1,stockholm-core-1.2.1,woocommerce-no-js,select-theme-ver-5.2.1,ajax_fade,page_not_loaded,popup-menu-fade,header_top_hide_on_mobile,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive

LIVE: Comida sem Veneno: Privilégio ou Direito?

O que é soberania alimentar? É possível produzir comida sem veneno em quantidade e fazer ela chegar a toda a população? Qual é a importância de promover a soberania alimentar e a alimentação saudável na favela no contexto desta pandemia?
No enfrentamento à pandemia, iniciativas populares têm incentivado o cultivo caseiro, o aproveitamento integral de alimentos e ainda levado alimentos agroecológicos até a população em favelas e periferias urbanas. Ações que trazem desafios, mas também apontam caminhos para conquista da soberania alimentar e da saúde, fortalecimento da agricultura familiar e conexão entre lutas do campo e da cidade. Se a saúde começa no prato, precisamos falar de agroecologia nessa pandemia!
Venham trocar ideias com ativistas de soberania alimentar nas favelas:
– Regina Tchelly, Favela Orgânica (Babilônia)
– Cristina Flores, Movimento dos Pequenos Agricultores
– Fernanda Savicki, Associação Brasileira de Agroecologia (Mato Grosso do Sul)
– Valdirene Militão, Campus Fiocruz Mata Atlântica (Maré)
– Susana Padrão, Consea RJ
– Luis Cassiano, Teto Verde Favela (Parque Arará)
Live organizada pelo Grupo de Trabalho de Hortas e Reflorestamento da Rede Favela Sustentável.

Apoio: Fundação Heinrich Böll Brasil