Nota de Pesar pelo Falecimento de Ravengard Veloso
2180
post-template-default,single,single-post,postid-2180,single-format-standard,theme-stockholm,qode-social-login-1.1.3,qode-restaurant-1.1.1,stockholm-core-1.2.1,woocommerce-no-js,select-theme-ver-5.2.1,ajax_fade,page_not_loaded,popup-menu-fade,header_top_hide_on_mobile,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive

Nota de Pesar pelo Falecimento de Ravengard Veloso

Foto: Laerte Breno / Voz das Comunidades

 

22 de outubro de 2020—A Rede Favela Sustentável manifesta seu pesar pelo falecimento de Fabiano (Ravengard) Veloso, ontem, dia 22 de outubro. Membro inspirador e irreverente do GT Resíduos Sólidos, Raven fundou o Movimento Urbano de Alimentação (MUDA) e é querido por mobilizadores comunitários e ambientalistas em todos os cantos do Rio de Janeiro.

Morador da Vila Kennedy, juntava teatro, educação e agroecologia e tinha um papel muito importante na comunidade—e em vários lugares por onde passou levando seus conhecimentos. O principal eixo de trabalho de Ravengard era o gerenciamento de resíduos orgânicos. Raven desenvolveu uma técnica chamada “Substrato Instantâneo”, que mistura grama, folha de amendoeira e folha de mamona. Sua técnica despertou interesse em membros do espaço acadêmico da UFRJ, instituição com a qual colaborou por muitos anos.

 

Exposição Artcabeau na Ambientável de 2017. Foto: Luck Veloso

Ravengard elaborou a pergunta do tema Resíduos Sólidos que foi apresentada durante o debate da Rede Favela Sustentável Candidatos à Prefeitura do Rio. Ele mesmo faria a pergunta durante o debate, mas no decorrer do evento recebemos a notícia do seu falecimento. A pergunta elaborada por Raven foi:

“No Rio de Janeiro, o município paga R$1 bilhão e R$300 milhões para recolher os resíduos municipais todo ano. Já que cerca de 54% do nosso lixo é orgânico, isso corresponde a mais de R$600 milhões para recolher resíduos orgânicos e aterrar, perdendo dinheiro e fonte de matéria prima para hortas, e enchendo nossas ruas de caminhões. Além disso, o resíduo orgânico parado na lata de lixo e na rua atrai insetos, ratos e coloca a saúde da população em risco. Os resíduos orgânicos podem ser trabalhados na escola como potência para educação ambiental, em hortas, mostrando o ciclo da produção do alimento, da semente ao adubo. Não é lixo, e talvez nem devemos falar em resíduo, pois é renda que estamos perdendo porque não temos competência para separar, por falta de incentivo. Qual a sua proposta para o reaproveitamento de orgânicos e inorgânicos na cidade do Rio de Janeiro e como fará para que os resíduos se tornem um gerador de renda nos territórios, garantindo matéria prima e fonte de emprego local?”

Raven deixa conosco sementes repletas de conhecimentos e ideias para serem semeadas.

Em entrevista ao Voz das Comunidades, em setembro deste ano, Ravengard compartilhou seus desejos e sonhos para o futuro: “o meu sonho é ver todo mundo trabalhando junto, todo tipo de ser humano. Sem partido de esquerda, de direita, apenas seres humanos. As forças armadas, a educação, os políticos. Vamos trabalhar para os seres humanos, vamos trabalhar para uma melhor qualidade de vida. Vamos gerenciar esse material, vamos transformar em alimentação saudável. É possível!”